Comitê da Cultura de Paz

14ª Semana Martin Luther King

“A desumanidade não é perpetrada unicamente pelos atos rancorosos dos maus. Também o é pela inação prejudicial dos bons.”

A Associação Palas Athena realiza junto ao Sesc, com a cooperação da UNESCO e do Consulado Geral dos Estados Unidos da América em São Paulo, a 14ª Semana Martin Luther King no dia 4 de abril às 19h no Sesc Vila Mariana.

Sobre o tema Violência Não Abre Caminhos, convida o público a refletir e celebrar o legado do líder pacifista. A abertura será com Jenna Paisley, vice-cônsul dos Estados Unidos. A mesa temática trará Carlos Machado, escritor, professor e mestre em História Social – USP e Cláudia Adão, assistente social e mestranda do Programa de Mudança Social e Participação Política – USP, que vão partilharão suas pesquisas, vivências e inspirações sobre o tema. A abertura artística terá a cantora Andreia Bal acompanhada do músico Rick Udler. O encerramento será feito pelo grupo Denna e as Mandigas.

A Semana Martin Luther King acontece todos os anos no mês de abril desde 2004, com o objetivo de disseminar o legado da experiência do líder pacifista, revelando sua continuidade e atualidade. Em 4 de abril de 2017 serão completados 49 anos da morte de Martin Luther King.


Sobre os convidados

Jenna Paisley, Atualmente trabalha como Vice-Cônsul no Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo. Nascida no estado do Colorado, estudou literatura latinoamericana e tradução na Universidade de Chicago e na Universidade do Colorado. Antes de entrar para o Departamento de Estado, lecionou na Pontifícia Universidad Católica Madre y Maestra em Santo Domingo, na República Dominicana. Já morou em comunidades no Rio de Janeiro e em Salvador, e se orgulha em ter aprendido português com os moradores do Morro Santa Marta e Vila Brandão.

Carlos Machado, Possui graduação (2003) e licenciatura (2004) e mestrado em História Social (2009) pela Universidade de São Paulo. É alumni da International Fellowships Program – IFP (Ford Foundation – USA). Atua na área de ensino desde 1999. É escritor de artigos e livros de divulgação científica. Foi palestrante na Fundação Roberto Marinho (Projeto A Cor da Cultura), Fundação Cultural Palmares (Ministério da Cultura), IFPA, IFBA, UFSCar, professor em cursos de extensão universitária e atualmente é professor da SME-PMSP.

Claudia Rosalina Adão, É assistente social do Centro Social Marista Ir. Justino, especialista em gestão de projetos sociais, mestranda do Programa de Mudança Social e Participação Política da EACH-USP. Faz parte da rede Quilombação de ativistas antirracistas.

Andreia Balbino, Bacharel em Música pela USP, iniciou seus estudos musicais em Minas Gerais apresentando-se em eventos de música popular brasileira ao lado de grandes musicos mineiros. Em 2006, recebeu o prêmio de interprete revelação regional do Festival da Canção de Boa Esperança. Participou de masterlcasses ministradas por grande nomes do cenário musical nacional e internacional e integrou o Coro Luther King (SP) entre 2011 e 2016, participando de concertos no Brasil, Paraguai e Itália. Em 2012, ao lado do pianista Felipe Balieiro, apresentou-se na Sala São Paulo.

Rick Udler, Violonista que viveu por longos períodos nos Estados Unidos e no Brasil, é fruto de diferentes culturas: nasceu no Chile, filho de argentinos de ascendência europeia. Sua atuação como compositor inclui parcerias com Paulo César Pinheiro, um dos letristas mais admirados do Brasil. Seu álbum Rhythm & Romance, em duo com a cantora Maria Alvim, foi premiado nos Estados Unidos e o álbum Papaya recebeu elogios da crítica brasileira e internacional. Rick tem se apresentado e ministrado workshops sobre violão brasileiro no Brasil, Chile e Estados Unidos.

Denna Souza é múltipla, mulher, negra, psicóloga, trançadeira, arte-educadora e cantora, sua arte nasce no Hip Hop e na maturação encontra com a ginga da capoeira e revigora sua arte. Seu novo projeto mescla a mandinga capoeirista com o soulrapjazz. Desenha na voz potente e vibrante o convite aos musicistas mandingueiros: Mestre Zelão, Dukid, Tomás Bastos, Jonatha e Pedro Droca para compor com o berimbau, a percussão capoeirista como atabaque, agogô, pandeiro temperados com guitar e bateria na marcação.