Comitê da Cultura de Paz

39º Fórum
Cultura de paz e primeira infância

Profa. Adriana Friedmann
Educação para uma Cultura de Paz na Primeira Infância

Dr. Guido Palomba
Violência do Ponto de Vista da Psiquiatria Forense

Dr. Raul Marino
Violência e Cultura de Paz do Ponto de Vista da
Neurologia e Neurocirurgia

Sonia Pinto Alves Soussumi
Violência do Ponto de Vista da Psicanálise

Dr. Yusaku Soussumi
Violência do Ponto de Vista da Neuropsicanálise

Coordenação: Dr. João Augusto Figueiró e Marilda Duarte

A Psicanálise, a Pedagogia e a Educação há muito tempo vêm se envolvendo no entendimento das questões fundamentais relativas ao desenvolvimento do ser humano em suas diferentes dimensões. As informações oriundas destas fontes de conhecimento sobre os cuidados com a futura mãe, com o bebê e com a criança na primeira infância – e suas implicações no comportamento do futuro indivíduo – não podem ser desprezadas na elaboração de qualquer política pública que vise a redução da violência e a construção de uma cultura de paz sustentada pela resolução pacífica de conflitos, ou mesmo simplesmente entender estas complexas questões.

O conceito de “não-violência” não é a negação pura da violência, mas um programa construtivo de ação, uma nova concepção de homem. Adentrando especificamente a questão da não-violência na primeira infância, existem hoje alguns importantes caminhos de reflexão e prática. Propostas concretas e diretas junto às crianças, metodologias que permitam conhecer, compreender, ampliar e aprofundar o conhecimento do seu desenvolvimento integral tornam-se objeto de inúmeros fóruns no mundo todo, reunindo educadores, organizações não-governamentais, fundações e movimentos voltados para a garantia dos direitos básicos das crianças e jovens de todas as idades, espelhando a grande prioridade que a primeira infância tem despertado, tanto nas políticas públicas quanto nas comunidades e  iniciativas privadas.

Este Fórum visa discutir as evidências relativas ao papel essencial que a qualidade afetiva dos cuidados oferecidos ao bebê e à criança na primeira infância têm no desenvolvimento futuro do indivíduo em relação à violência, à possibilidade de reagir adequadamente às
frustrações, de inserir-se na cultura, no desenvolvimento da cultura de paz e na resolução pacífica de conflitos. Todos os municípios brasileiros em parceria com a Rede Gandhi poderão colocar em prática estratégias e programas práticos aplicáveis no âmbito municipal
através das secretarias municipais de saúde, visando o cuidado com as futuras mães, com as gestantes, com as lactentes e com as mães durante a primeira infância, de modo a colaborar na construção de uma sociedade mais harmoniosa e colaborativa.

 


Adriana Friedmann é Pedagoga, Mestre em Metodologia do Ensino. Co-fundadora da Aliança pela Infância e membro do COPIPAZ – Comitê Primeira Infância na Cultura de Paz. Autora de: A arte de brincar; Brincar, crescer e aprender: o resgate do jogo infantil; O direito de brincar ¯ a brinquedoteca; Dinâmicas criativas ¯ um caminho para a transformação de grupos e Caminhos para uma Aliança pela Infância.

João Augusto Figueiró é médico clínico e psicoterapeuta, de orientação psicanalítica, do Hospital das Clínicas – FMUSP; coordenador do Programa Nacional de Educação em Dor e Cuidados Paliativos da Associação Médica Brasileira; assessor do Ministério da Saúde para o Programa Nacional de Assistência à Dor e Cuidados Paliativos; membro fundador e presidente do Conselho Científico da ONG Aliviador. Autor de A Dor, pela Editora Publifolha; Dor, pela Editora Moreira Jr.; Depressões Secundárias, Dor e Saúde Mental, e Dor: um manual para o clínico, pela Editora Atheneu.

 


ENTRADA FRANCA
12 de abril de 2005 – terça-feira – 18h
Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Auditório Paula Sousa
Av. Dr. Arnaldo, 715 – São Paulo – (Estação Clínicas do Metrô)

Realização: Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz
- um programa da UNESCO -