Comitê da Cultura de Paz

O equinócio de outono

Regina Auxiliadora Atulim

 

Em linguagem astronômica, o equinócio de outono ocorre quando o Sol deixa o hemisfério celeste sul e entra no hemisfério celeste norte; isso ocorre por volta do dia 20 de março de cada ano. A palavra equinócio significa noite igual, indicando que os dias longos do verão vão dando lugar a noites mais compridas e amenas, até que naquele dia, a noite e o dia duram cerca de 12 horas igualmente.

A natureza se prepara para a diminuição da energia do Sol característica do período do inverno: muitas espécies vegetais começam a perder as folhas, adaptando-se para a redução do metabolismo própria da estação mais fria. Os animais também modificam seu comportamento nessa época: alguns se preparam para a hibernação, outros para uma época de escassez de alimentos.

Os seres humanos, também submetidos a esse regime de variação de insolação ao longo do ano, respondem a essas mudanças de maneira mais sutil, tanto que, muitas vezes nem nos damos conta do que realmente está acontecendo: nessa época, é natural ficarmos mais introspectivos, mais serenos, sentirmos uma necessidade de diminuir o ritmo no cotidiano, mas a correria do dia-a-dia não nos permite atender ao apelo da natureza. Esse conflito entre ser natural e ser social pode nos tornar tristes e até deprimidos, pois a vida moderna tem dificultado, cada vez mais, nossa (re)integração com a natureza.

Aproveitemos, pois, este período em que a vida começa a se resguardar para refletirmos sobre as belezas que cada época do ano nos oferece e de que maneira podemos equilibrar as demandas sociais às biológicas.