Comitê da Cultura de Paz

Prevenção das violências escolares: experiências possíveis a partir do cotidiano

Pensar e concretizar alternativas para a violência escolar deixaram de ser utopia em muitas escolas. Nesses espaços, as formas de promover convivências escolares mais adequadas, nas quais a não-violência e a reflexão sobre direitos e valores humanos, já fazem parte do cotidiano. Este processo vai sendo entendido como Educação para a Paz, considerando a questão de que uma possível Cultura de Paz só pode ser construída com um processo que envolve educar para a paz, ou seja, entender violências, conflitos e paz como faces interligadas e dinâmicas no contexto escolar.

É esta a perspectiva que norteou a mesa redonda realizada dia 26/10, na qual foram compartilhadas experiências que demostram que a Educação para a Paz tem viabilidade nas escolas. Foram apresentados projetos desenvolvidos em três escolas da Rede Pública Estadual de Educação dos municípios de Carambeí e Ponta Grossa, Paraná.
Ressaltamos que estas experiêncas tem se constituído em referências no processo de reflexão e ação na prevenção de violências escolares, e, portanto, fundamentais de ser socializadas e refletidas coletivamente com demais educadoras e educadores.
Conheça mais sobre o Núcleo de Estudos e Formação de Professores em Educação para a Paz e Convivências (NEP) da UEPG/PR: www.uepg.br/nep