Comitê da Cultura de Paz

112º Fórum
Uma escola onde o prazer de aprender supera barreiras
- A experiência da Casa do Zezinho -

Com Dagmar Garroux

Em 1993, Dagmar Garroux iniciou uma revolução. Ela vivia no Capão Redondo com a família e começou ali mesmo, atendendo algumas crianças da Favela do Fedô, zona Sul de São Paulo. Vinda de uma família de educadores e formada em Pedagogia, não se conformava com a situação de exclusão daqueles pequenos Zezinhos. Arregaçou as mangas e não parou mais. Não foi fácil.

Por que persistiu nesta luta? Porque defende que toda criança tem o direito de sonhar, de escolher seu destino, pertença ela a que classe for. Hoje em dia muitas famílias veem o filho como mão de obra, seja pobre ou rico. Se for pobre fará cursos de profissionalização, se for rico fará inglês, francês, alemão, computação, tênis, futebol – os pais já projetam o futuro do filho. Poucos se lembram de perguntar à criança o futuro que ela quer, e assim nega-se a ela autonomia de escolha.

E a arte, a cultura, a brincadeira? A criança já não brinca mais, ela pula esta etapa. Por que não pode esperar para ser adulta quando adulta ela for? A criança deve crescer feliz, sem pular etapas, porque quem cresce feliz saberá escolher seu futuro. E isto já é meio caminho andado para que ela seja bem sucedida na vida, seja lá o que for que ela escolha para si mesma.

Hoje já são 1500 na Casa do Zezinho, onde se oferece uma educação de qualidade: A Pedagogia do Arco Iris, que tem como ponto central o desenvolvimento da autonomia de pensamento e de ação a partir dos 4 pilares da educação: Ser (Espiritualidade), Conhecer (Ciências), Saber (Filosofia) e Fazer (Arte). A roda de formação diária é uma importante ferramenta. Aqui se fomenta o reconhecimento, o respeito, o entendimento e a inclusão. Os educadores da Casa do Zezinho estão abertos e preparados para receber diariamente as crianças e jovens que, devido à situação de carência de condições dignas de vida, chegam sem nenhuma condição de concentração para aprender. A primeira ação do educador é nutri-los – acolher, ouvir e conversar, respeitando a percepção de mundo de cada Zezinho. A integração de todas as formas possíveis de expressão os ajuda a encontrar segurança e buscar uma identidade. O educador do Espaço de Aprendizagem tem acesso às informações gerais do grupo, que acompanha em todas as atividades, fazendo a ponte com a escola e trabalhando em parceria direta com as famílias.

 


6 de maio de 2014 • terça-feira • 19 horas
Auditório do MASP • Museu de Arte de São Paulo
Avenida Paulista, 1578 – São Paulo / SP — Estação Trianon-MASP do metrô
Não é necessário fazer inscrição antecipada

 


Dagmar Garroux, pedagoga (USP), é criadora da Pedagogia do Arco Iris, uma pedagogia centrada em idéias de interesse social de pleno desenvolvimento humano para crianças e jovens da baixa renda, objetivando superar os obstáculos impostos pela miséria e pela brutalidade. Em 1994, à frente de um grupo de educadores identificados com as suas idéias, fundou a Casa do Zezinho em uma região de extrema violência na periferia da zona Sul de São Paulo, onde residem mais de um milhão de pessoas em condições precárias. Seguidora de Paulo Freire, ela coleciona prêmios e histórias.